Total de visualizações de página

domingo, 25 de abril de 2010

O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

A aventura humana começou há 500 mil anos atrás, quando a primeira espécie humana o Pithecanthopus eretus, ou seja, o “homem macaco em pé”, descendo das árvores para se alimentar de caça miúda , enfrentou seu primeiro desafio, o de se proteger dos seus predadores. Para enxergar mais longe ele precisou andar em pé, desenvolveu a habilidade de atirar pedra e fabricou a primeira lança de vara de madeira com ponta aguçada por lasca de pedra, e assim teve início o desenvolvimento da consciência humana.
Neste período de tempo que abrange o paleolítico (era da pedra lascada), o Neolítico (era da pedra polida), até aproximadamente 5,000 anos a/C. Sucederam-se outras espécies pré-históricas, como o Sinânthropus pekinenses, o homem de Fontéchevade, o homem de Neanderthal (o homem das cavernas) e o homem de Cro-Magnon. Este último já com a abóboda craniana bem desenvolvida, aproximadamente igual à média moderna, atingindo a estatura média masculina de 1,80 m. Sendo talvez absorvidos mais tarde pelas raças posteriores que o sucederam e se espalharam por todos os recantos da terra.
O desenvolvimento da mente consciente surgiu pela necessidade do homem primitivo entender os fenômenos da natureza, de se adaptar ao meio em que vivia e inventar ferramentas que lhes facilitassem a sobrevivência. Esse desenvolvimento foi conseguido pela experiência dos erros e acertos que foram se acumulando na sua memória.
A mente inconsciente é inerente à vida, é o programa de vida em cada espécie. A nível de inconsciente a essência precede a existência, ao passo que no plano consciente ocorre o contrário, segundo Sartre, “a existência precede a essência, o homem constrói a si mesmo.” A memória da mente inconsciente, é profunda e cumulativa de todos os conteúdos psíquicos arcaicos da existência do ser, que só afloram ao consciente em momentos especiais de emoção. Transmitimos para os nossos descendentes a bagagem psíquica do inconsciente, mas não transmitimos os conhecimentos do consciente.
A mente consciente é uma propriedade emergente da evolução biológica e psíquica do ser. A espécie só começou se diferenciar dos animais quando começou a ter memória dos sentidos, principalmente da visão, para orientar a sua vontade em direção aos fenômenos ou objetos, a serem entendidos ou modificados. A partir da visão, da memória e da vontade, a consciência humana está em constante evolução. A mais recente é a consciência ecológica.
A criação da visão, utilizando a luz, foi uma tecnologia de ultima geração no seu tempo. Foi o que permitiu que a natureza contemplasse a natureza. Foi como se o criador quisesse ver através de nós, com olhos naturais, a extensão da sua criação. Mas para isso foi preciso dotar o observador de uma mente consciente, porque os animais não fazem juízo de valor, vivem sempre no presente, ao passo que homem é um animal histórico, tem consciência da sua existência e finitude. “O homem é o único animal que sabe que vai morrer, e mesmo assim consegue ser feliz.” Aristóteles.
O homem na sua curta existência repete os principais estágios da evolução da vida. Tem seu primeiro desenvolvimento no útero materno, envolto num líquido semelhante à água do mar, “onde se originou a vida”. Nasce, engatinha e aprende andar em pé, como fizeram nossos ancestrais pré-históricos. Aprende falar, ler, escrever e toma consciência que pode construir o seu futuro.

Ivo da Silva Bitencourt 31/05/2007

Um comentário:

IVO BITENCOURT disse...

Para com isso Arnaldo, Não vai atrás das escrituras. Faz dois mil anos que pregam os evangelhos e humanidade está só piorando, a não ser que tu queiras descolar algum.