Total de visualizações de página

segunda-feira, 26 de abril de 2010

ALEGORIA DA ORIGEM DOS UNIVERSOS

ALEGORIA DA ORIGEM DOS UNIVERSOS

No principio o espírito de Deus pairava nas trevas da eternidade, e o seu reino era a energia escura, onde não havia espaço para nada. Nem tempo, pois o tempo não passava. Nem velocidade, pois não havia espaço para percorrer. Nem luz, pois não havia nada para iluminar. Nem gravidade , pois não havia nada para atrair.
Então Deus pensou, EU SOU potestade, e vou expressar a minha onipotência na natureza. Que haja luz e Bem-Aventurança nos universos que se formarem. Logo o espírito de Deus em ondas vibratórias abriu espaço para deslocar sua energia, na velocidade da magia, iniciando o tempo da existência material, numa singularidade de partículas Higgs, super corda e potência primordial da matéria.
O bosom Higgs, vibrando em ondas de grande amplitude, logo desintegrou-se em seis tipos de Quarks (partículas de ondas de menor amplitude e maior freqüência), que também se desintegraram em pares de prótons, nêutrons e elétrons (partículas de carga inversa), que se combinaram para formar os átomos, do mais leve hidrogênio ao mais pesado urânio. E assim estava formada a matéria para criar os universos. Viu Deus que a matéria era boa, mas ainda tinha muito por criar.
Neste estágio a criação seguiu por duas vias, átomos com núcleos de cargas opostas começaram a se aglutinar em campos diferentes, iniciando a criação de dois universos com históricos distintos. No caos da poeira cósmica surgiram pontos de aglomeração de matéria, que foram aumentando até esmagar o seu núcleo, desencadeando uma fusão nuclear, queimando hidrogênio como combustível, verdadeiras fornalhas atômicas ou estrelas, que irradiam luz e calor.
Em torno das estrelas começaram orbitar corpos menores , formando-se sistemas planetários. Surgiram também estrelas gigantes (buracos negros) que não deixam escapar nem a sua própria luz, tal é o seu poder de atração que sistemas planetários inteiros gravitam em sua volta, formando as galáxias.
No planeta terra há 3,5 bilhões de anos atrás, já estavam formadas as plataformas terrestres, os mares, os rios e ocorriam chuvas com abundância, mas não havia nenhuma espécie de vida. E o espírito de Deus pairava sobre as águas dos mares primitivos. Então Deus pensou, aqui é um lugar próprio para se desenvolver algum tipo de vida. Que haja vida nas espécies que se formarem e domine sobre todas as outras àquela que desenvolver a inteligência e a consciência que EU SOU seu Deus em espírito e verdade e que ande nos caminhos da Bem-Aventurança, porque este é o propósito para o meu reino.
E o espírito de Deus, em ondas vibratórias, animou as moléculas dos ácidos nucléicos que já estavam se formando no barro dos banhados e pântanos, e o DNA se tornou uma estrutura auto-ressonante, com a propriedade de produzir cópia de si mesmo e rodar o programa metabólico das células bacterianas primitivas, iniciando uma trajetória evolutiva até chegar ao estágio atual.
E viu Deus que a sua criação era boa e perfeita e disse: Que haja manhã e tarde em todos os dias da existência terrena; que a humanidade na sua inteligência, tome consciência que todos os homens e mulheres são filhos e filhas de Deus e foram chamados a participar na administração do meu reino na terra, para promover a justiça e a paz entre os homens de boa vontade, até que a Bem-Aventurança alcance todas as criaturas viventes. E assim seja.

Ivo da Silva Bitencourt 28/02/2006

4 comentários:

Gabriel disse...

Ivo, a sua idéia de vácuo quântico como o próprio espírito de Deus é algo fantástico e me agrada muito, pois eu sempre compartilhei dessa visão de Deus como "a alma do universo". E é incrível perceber como hoje, em pleno século XXI, muitas pessoas creem em Deus como um homem barbudo sentado numa cadeirinha no céu, em uma nuvem qualquer, cercado de vários anjinhos (que são crianças nuas com asas).

IVO BITENCOURT disse...

Gabriel.
O Deus das religiões não existe, porque foi criado pela mente humana à imagem e semelhança dos homens.
A minha concepção do vácuo quântico ou energia escura, como espírito cósmico de Deus, já foi mencionado por Jesus, quando ele disse:
"Deus é espírito. O reino de Deus está dentro de vós."
Ivo Bitencourt

Gabriel disse...

Ivo, recebi seu e-mail. Quando você diz minha recomendações, refere-se aos meu comentários? Em caso afirmativo, sinto muito, não há como voltar atrás, posso até tentar te ajudar se você explicar mais detalhadamente. Obrigado.

Andréa Silva disse...

Olá Ivo,
Grata pelo seu comentário no meu blog! Singelamente gostaria de te dizer que admiro sua busca pelo sentido do Universo e de Deus. Eu acredito, como em algumas filosofias orientais, que Deus é o incriado. Ou seja é o primeiro. Quando tentam atribuir a Deus uma individualidade é que a coisa se complica. Acredito que Deus é ao mesmo tempo a substância e a causa eficiente do Universo, mas que ele não seja uma entidade autônoma, que tem capacidade de julgamento como os humanos querem acreditar. Alguns até dizem que Deus não criou o mal. Mas se ele "permitiu" que este existisse ele o criou. Mesmo que por omissão.
No mundo das partículas subatômicas o caos, o improvável, o fantástico e o estranho são formas pelas quais o "mal" se manifesta.
Você já viu a teoria segundo a qual nosso planeta teria se formado pelo choque com o satélite chamado Dia? É fascinante!
Mesmo que o Universo seja um grande acaso e que nada tenha sido feito de forma pensada racionalmente como gostaríamos de acreditar, ainda assim é estupendo e digno de reverência. Isso é o que eu chamo de Deus. E é só nisso que eu consigo acreditar.